Print preview Close

Showing 58 results

Archival description
Ijuí - Rio Grande do Sul - Brasil
Print preview View:

Documentos textuais

  • BR RSMADP AI-T
  • Seção
  • Part of Ijuí

O gênero textual reúne documentos referentes à administração municipal, à genealogia familiar (aproximadamente 500 famílias), casas comerciais, indústrias e outras instituições (ligadas à agropecuária, prestação de serviços, meios de comunicação e transporte, benemerentes, classistas, culturais, esportivas, recreativas, estudantis, comunitárias, político-partidárias, religiosas e de saúde). Recortes de jornais também compõem os documentos textuais, com matérias colecionadas pelo primeiro diretor do MADP, Martin Fischer, sobre os assuntos e entidades municipais.
DESTAQUE DA SEÇÃO:
Genealogia (Textual): documentos classificados no tema “0. Generalidades” como históricos familiares, árvores genealógicas, documentos como certidões de batismo, casamento, nascimento e óbito, passaportes e outros documentos de famílias ijuienses.

Cartório Eleitoral de Ijuí (Textual): Documentos classificados no tema “0. Generalidades/0.1 Administração Pública", que reúne 26.780 processos eleitorais das décadas de 1950, 1960 e 1970. Com frequência, a documentação é pesquisada para fins de subsidiar processos de aposentadoria e levantamentos genealógicos.

Comissão de Terras e Colonização do Arquivo Ijuí (Textual): Documentos classificados no tema “1. Administração Municipal”, com 378 registros de lotes urbanos e rurais da Colônia Ijuhy, datados de 1877 a 1912, anteriores à emancipação do município de Ijuí. A documentação é pesquisada como fonte de comprovação histórica e sociocultural da colonização local. Os documentos estão Microfilmados e digitalizados.

Prefeitura Municipal de Ijuí (Textual): Documentos classificados no tema “1. Administração Municipal”, que reúne 96.626 documentos da Administração Pública Municipal custodiados pelo MADP, sendo 1.054 relatórios de atividades da Intendência Municipal e de Secretarias (de 1912 a 1981), 15.593 telegramas expedidos e recebidos (de 1912 a 1982) e 63.839 correspondências expedidas e recebidas (de 1911 a 1973). O índice dos documentos está disponível na Sala de Pesquisa.

Documentos iconográficos (Fotografias)

As fotografias de Eduardo Jaunsem apresentam uma diversidade de temas e gêneros fotográficos, como as vistas e os retratos.
DESTAQUE DA COLEÇÃO
São destaques as imagens de vistas da natureza, o cotidiano do homem no campo ou meio rural (agricultura), fotografias artísticas.
O negativo de vidro, considerado um suporte fotográfico de alta qualidade da imagem e durabilidade, tem um volume expressivo no acervo. Entre 2005 e 2007, o Museu realizou a duplicação de segurança dos negativos para filmes, bem como a reprodução das imagens positivas, através do projeto "Preservação/Publicização da Coleção Eduardo Jaunsem", aprovado pela Lei de Incentivo à Cultura Federal - PRONAC - MECENATO do Ministério da Cultura (MinC).

Eduardo Jaunsem

Documentos iconográficos (Fotografias)

As fotografias da Família Beck apresentam uma diversidade de temas e gêneros fotográficos, como as vistas e os retratos.
DESTAQUE DA COLEÇÃO
Imagens de vistas urbanas, os retratos ao ar livre e em estúdio, as fotografias de família.
O negativo de vidro, considerado um suporte fotográfico de alta qualidade da imagem e durabilidade, tem um volume expressivo no acervo. A partir dos negativos foram feitas as imagens positivas através de cópias por contato em papel.

Família Beck

Documentos iconográficos (Fotografias)

  • BR RSMADP AI-I
  • Seção
  • 1893-2011
  • Part of Ijuí

A documentação é formada em sua maioria por suportes do processo analógico, em cores e monocromáticos (preto e branco). Há diferentes temas e gêneros fotográficos como retratos e paisagens.

Paisagem fotográfica: vista arquitetônica e paisagem natural da propriedade da família Gieseler; Luiz Germano Gieseler (autor).

Local: Propriedade da Família Gieseler. Linha1, Leste, Ijuí, RS, Brasil. A imagem mostra o moinho, ao lado a residência da família Gieseler e os galpões. Ao lado oposto da propriedade está a cachoeira do Rio Potiribu e a Usina Hidrelétrica (hoje Usina Velha), com apenas a primeira turbina geradora de energia. A foto pode ser do período entre 1923 e 1932, cuja vista da imagem foi capturada da estrada que dá acesso à Usina. Fonte: adpatado da pesquisa e relato feitos por Edgar Beno Gieseler, pasta 1

Paisagem fotográfica: vista arquitetônica e paisagem natural da propriedade da família Gieseler; Luiz Germano Gieseler (autor).

Local: Propriedade da Família Gieseler. Linha1, Leste, Ijuí, RS, Brasil. A imagem mostra o moinho, ao lado a residência da família Gieseler e os galpões. Ao lado oposto da propriedade está a cachoeira do Rio Potiribu e a Usina Hidrelétrica (hoje Usina Velha), com apenas a primeira turbina geradora de energia. A foto pode ser do período entre 1923 e 1932, cuja vista da imagem foi capturada da estrada que dá acesso à Usina. Fonte: adpatado da pesquisa e relato feitos por Edgar Beno Gieseler, pasta 1

Fotografia de fatos da atualidade: vista parcial arquitetônica Igreja do Relógio (IECLB); Luiz Germano Gieseler (autor).

Local: Praça da república, ijuí, Rio Grande do Sul (RS), Brasil. A Igreja do Relógio, oficialmente Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), localizada na Praça da República, também foi conhecida por "Igreja da Cruz" pelo formato de construção em cruz, como das capelas em estilo gótico, cuja planta baixa mostra a forma de crucifixo. "A foto, sem data, provavelmente no dia de sua inauguração, o espaço frontal é a Praça da República, nota-se uma cerca que protegia a praça da entrada de cavalos a qual também servia para amarrá-los pelo lado da rua. A Comunidade Evangélica de Ijuí iniciou suas atividades oficialmente na então Colônia de Ijuhy no dia 19 de janeiro de 1895, em acordo com relatos encontrados nas buscas da pesquisa realizada. A igreja teve sua planta elaborada durante o ano de 1907 e inaugurada em 08 de maio de 1914, a pedra fundamental teve seu lançamento em 07 de janeiro de 1909. Os preparativos e o movimento para a construção do templo principal da igreja iniciaram na gestão do pastor Hermann Rosenfeld, de 1903 a 1912, porém este não presenciou a construção da obra pois voltou para sua pátria de origem Alemanha, de 1912 a 1913 foi substituído pelo pastor Hans Henn. Em março de 1913 Henn foi substituído pelo pastor Karl Gottschald, sendo a igreja inaugurada na gestão deste e Albino Brendler, cujo nome completo era Arthur Albino Brendlerfoi presidente da comissão de construção". Fonte: texto adaptado da pesquisa e relato feitos por Edgar Beno Gieseler, pasta 1

Fotografia fatos da atualidade: vista parcial do evento da Escola Alemã; Luiz Germano Gieseler (autor).

A imagem, sem data registrada mostra o primeiro prédio próprio do Colégio Evangélico Augusto Pestana (CEAP), parece estar ocorrendo uma festa no local. O CEAP foi inaugurado em 18 de outubro de 1914, cujos terrenos foram doados pelo intendente provisório de Ijuí, ainda em 1912, engenheiro Augusto Pestana. A escola contava com duas salas de aula e uma sala para a secretaria, as paredes eram de madeira e as divisórias eram de alvenaria. Sua origem se deu com a fundação de Escola Alemã em 1899, porém em outro local, também conhecida como "Escolinha da Roça”. Nos dois primeiros anos funcionou na baixada da atual Avenida Coronel Dico em um casebre/galpão emprestado por Luiz Keller. A pequena escola fechou por dois anos e em 1903 reabriu como "Escola Paroquial" junto da Casa Paroquial da Comunidade Evangélica de Ijuí até 1914, local em que hoje está o Centro Evangélico de Confissão Luterana no Brasil (IECLB). O local da sede do CEAP que mostra a imagem, desde 1914 permanece em funcionamento, mas com edificação mais recente de alvenaria e funciona até hoje (2018). Fonte: Adaptado da pesquisa e relato de Edgar Beno Gieseler, pasta 1.

Results 1 to 10 of 58