Iconográfico

Taxonomy

Code

Scope note(s)

Source note(s)

Display note(s)

Hierarchical terms

Iconográfico

Equivalent terms

Iconográfico

Associated terms

Iconográfico

1907 Archival description results for Iconográfico

1907 results directly related Exclude narrower terms

Expo Ijuí - Palestra

  • AI 3.6 0124 02704
  • Item
  • 1989

Parque Assis Brasil - Ijuí. Foto tirada no interior do pavilhão. Local onde acontece as palestras. Na mesa principal foram identificados: 2- Luiz Hocevar Filho (Secretário SEMDEC); 3- Valdir Heck - Prefeito; 4- Astro Mayer - Vice Prefeito; 5- Sonia Arriens - GIMIC - Publicidade. Momento em que o secretário Luiz Hocevar Filho, faz o uso da palavra.

3ª EXPO-Ijuí Público

  • AI 3.6 0226 02806
  • Item
  • 1989

Parque Assis Brasil - Ijuí. Público presente na 3ª Expo-Ijuí. No fundo aparece a casa típica austríaca.

Feira Vale Tudo

  • AI 3.6 0348 02928
  • Item
  • 1989

Praça República - Ijuí. Aspecto geral da feira do Vale Tudo realizada na Praça em frente da Prefeitura.

Concurso 1ª Prenda RS

  • AI 3.6 0443 03023
  • Item
  • maio 1991

CTG Farroupilha - Ijuí.
ª Prenda do RS, recebendo a faixa da prenda 1990.

Ijuí

  • BR RSMADP AI
  • Collection
  • 1893 - 2011

CONTEXTO HISTÓRICO DE IJUÍ:
A formação do atual município de Ijuí teve início em 1890, com a criação da Colônia Ijuhy, na região Noroeste do Rio Grande do Sul, considerada oficialmente desse Estado e efetivada por orientação da Comissão de Terras e Colonização. A ocupação da área ocorreu com o incentivo à vinda de diversos grupos étnicos, que conforme Marques e Grzybowski (1990), basicamente eram constituídos por imigrantes europeus ou seus descendentes, provenientes das primeiras áreas de colonização do Rio Grande do Sul, a fim de exercerem atividades agrícolas. Considera-se como data de fundação de Ijuí, 19 de outubro de 1890 (o ano de criação da colônia),
que significou o início da ocupação das últimas áreas disponíveis do Rio Grande do Sul, para onde eram enviados imigrantes recém-chegados da Europa: alemães, teuto-russos, poloneses, italianos, letos, austríacos, húngaros, suecos, franceses, espanhóis e, pouco depois, uma geração moça, excedente das “colônias velhas”, isto é, das áreas ocupadas inicialmente por alemães e italianos a partir de São Leopoldo e Caxias do Sul (MARQUES; GRZYBOWSKI, 1990, p.9-10).

Canabarro (2011), entretanto, ressalta que o território da Colônia era ocupado anteriormente ao processo de colonização europeia, por luso-brasileiros, como os caboclos, mais tarde reconhecidos por “nacionais”, que praticavam a colheita da erva-mate e outros trabalhos agrícolas em pequenas lavouras. Conforme Callai (1987), os caboclos não eram proprietários de terra, suas áreas eram consideradas devolutas, ou sem donos, por isso, salienta-se a importância de recordar que a agricultura e o povoamento de Ijuí não iniciaram com os imigrantes, com esses últimos, apenas se constituiu um processo formal de ocupação, onde a terra passa a ser mercadoria:
Como a colônia era oficial, o governo vendia a terra em condições especiais. O prazo de pagamento da terra era de cinco anos. Ao custo da terra, em muitos casos, eram acrescidas as despesas havidas no transporte e alimentação do imigrante, no fornecimento de ferramentas, sementes, etc. (CALLAI, 1987, p.10-1).

O autor, portanto, explica que para o sucesso da ocupação e colonização, tanto colonos como luso-brasileiros que adquiriram terras para produzir, dependiam, não somente da obtenção de alimento para a própria subsistência, mas de garantir um futuro a longo prazo, como um excedente para pagar a terra adquirida, ter lucro e comprar novas terras. Lazzarotto (2002) afirma que Ijuí foi caracterizada, além da diversidade étnica, pelo trabalho e rápido desenvolvimento, em decorrência da policultura agrícola, posteriormente da mecanização, indústria e comércio, tendo a cidade recebido o codinome de "Colmeia do Trabalho" (IBID., p. 183). O autor explica o desenvolvimento econômico do município em três fases: fase de subsistência; fase de policultura para o mercado interno e exportação; fase de industrialização.

DESTAQUE DA COLEÇÃO:

Genealogia (Textual);
Cartório Eleitoral de Ijuí (Textual);
Comissão de Terras e Colonização do Arquivo Ijuí (Textual);
Prefeitura Municipal de Ijuí (Textual);
Fotografias (Iconográfico).

Diversos

Inauguração do Posto Agropecuário de Ijuí

  • BR RSMADP AI-I-3-AI 3.1 0001 01272
  • Item
  • 1948
  • Part of Ijuí

Distrito Doutor Pestana de Ijuí, RS, Brasil (Atualmente, município de Augusto Pestana). Posto Agropecuário de Ijuí, antes, Estação Experimental Getúlio Vargas. Depois de Posto Agropecuário, passou a funcionar como Centro de Treinamento da Cotrijuí (CTC) e atualmente (2018) funciona o Instituto Regional de Desenvolvimento Rural (IRDER) ou Escola Fazenda da UNIJUÍ/FIDENE. Foto tirada por ocasião da inauguração do Posto Agropecuário. 1º: Valdir Fonseca. 2º: Rubem Ressler da Silva; 3º: Joaquim Porto Vilanova; 4º: Ministro da Agricultura: Clóvis Pestana; 5º: Hilnon Correia Leite.

Autoridades na inauguração do Posto Agropecuário de Ijuí

  • BR RSMADP AI-I-3-AI 3.1 0002 01273
  • Item
  • 1948
  • Part of Ijuí

Distrito Doutor Pestana de Ijuí, RS, Brasil (Atualmente, município de Augusto Pestana). Posto Agropecuário de Ijuí, antes, Estação Experimental Getúlio Vargas.Depois de Posto Agropecuário, passou a funcionar como Centro de Treinamento da Cotrijuí (CTC) e atualmente (2018) funciona o Instituto Regional de Desenvolvimento Rural (IRDER) ou Escola Fazenda da UNIJUÍ/FIDENE. Visita de autoridades por ocasião da inauguração do Posto Agropecuário. 2º: Valdir Fonseca; 3º: Rubem kessler da Silva; 4º: Joaquim Porto Vilanova; 5º: Clóvis Pestana (ministro da agricultura. 6º: Hilnon Correia Leite

Funcionários do Posto Agropecuário de Ijuí

  • BR RSMADP AI-I-3-AI 3.1 0003 01274
  • Item
  • 30/11/1954
  • Part of Ijuí

Distrito Doutor Pestana de Ijuí, RS, Brasil (Atualmente, município de Augusto Pestana). Posto Agropecuário de Ijuí, antes, Estação Experimental Getúlio Vargas. Depois de Posto Agropecuário, passou a funcionar como Centro de Treinamento da Cotrijuí (CTC) e atualmente (2018) funciona o Instituto Regional de Desenvolvimento Rural (IRDER) ou Escola Fazenda da UNIJUÍ/FIDENE. Funcionários do posto agropecuário de Ijuí: 1º: João Nunes da Silva; 2º: Emilio da Silva (tratorista); 3º: Mário Assis Sabo; 4º: Frederico Raugust Filho; 5º: João Alves da Silva; 6º: Herbert Steglich.

Funcionários do Posto Agropecuário de Ijuí

  • BR RSMADP AI-I-3-AI 3.1 0004 01275
  • Item
  • 30/11/1954
  • Part of Ijuí

Distrito Doutor Pestana de Ijuí, RS, Brasil (Atualmente, município de Augusto Pestana). Posto Agropecuário de Ijuí, antes, Estação Experimental Getúlio Vargas. Depois de Posto Agropecuário, passou a funcionar como Centro de Treinamento da Cotrijuí (CTC) e atualmente (2018) funciona o Instituto Regional de Desenvolvimento Rural (IRDER) ou Escola Fazenda da UNIJUÍ/FIDENE. Funcionários do posto agropecuário de Ijuí: 1º: João Nunes da Silva; 2º: Emilio da Silva (tratorista); 3º: Mário Assis Sabo; 4º: Frederico Raugust Filho; 5º: João Alves da Silva; 6º: Herbert Steglich.

Lavoura - Soja no Posto Agropecuário de Ijuí

  • BR RSMADP AI-I-3-AI 3.1 0005 01276
  • Item
  • 1968
  • Part of Ijuí

Linha 12 Oeste, Distrito Doutor Pestana de Ijuí, RS, Brasil (Atualmente, município de Augusto Pestana). Posto Agropecuário de Ijuí, antes, Estação Experimental Getúlio Vargas. Depois de Posto Agropecuário, passou a funcionar como Centro de Treinamento da Cotrijuí (CTC) e atualmente (2018) funciona o Instituto Regional de Desenvolvimento Rural (IRDER) ou Escola Fazenda da UNIJUÍ/FIDENE. Lavoura demonstrativa, na propriedade do Sr. Alberto Mühlbeyer, localizada na linha 12 Oeste, Ijuí. Plantação de soja das variedades "Majos" e "Jew - 45". Ano: 1968. Fotografada e doada ao Museu pelo engenheiro agrônimo Dr. Hilnon G.C. Leite.

Results 1 to 10 of 1907