Showing 58 results

Archival description
Ijuí - Rio Grande do Sul - Brasil
Advanced search options
Print preview View:

Paisagem fotográfica de fatos da atualidade: seca do Rio Potiribu; Luiz Germano Gieseler (autor).

Próximo à propriedade da família Luiz Germano Gieseler, há a estrada que dá acesso à mesma, atualmente a rodovia RS-155, que passa sobre o rio Potiribu, antes denominado rio Conceição, também conhecido como rio “Da ponte”. Neste trecho da estrada existiram ao longo do tempo três pontes. A primeira ponte, toda em madeira, existiu antes de 1912, mas não foi localizada a data exata de sua construção, mas a partir desta que o rio passou a ser chamado de rio da Ponte. A segunda ponte, com estrutura composta de alvenaria e madeira, foi inaugurada em 1912. No Relatório dos Negócios de Obras Públicas da Comissão de Terras e Colonização do Ijuhy, ano de 1911, páginas 140 e 141, item Viação, arquivado junto ao Museu Antropológico Diretor Pestana consta: "Há em toda região 23 pontes e está em construção uma ponte sobre o Rio da Ponte, na Linha 1 Leste e está estudada a ponte sobre o Rio Conceição, mas infelizmente não tive ainda ordem para iniciar sua construção". Por fim, a terceira ponte, inteiramente de concreto, existente atualmente (2018) foi inaugurada na década de 1970.
FORMA DO CONTEÚDO:
Local: Linha 1, Leste-Ijuí, RS, Brasil. Primeiro Plano: tem como objeto central, a ponte sobre o Rio Potiribu, todavia, tem destaque a seca rio. Plano de detalhes: as pedras vegetação no entorno da ponte. Plano de fundo: estrada que passa sobre a ponte e vegetação nativa.

Paisagem fotográfica de fatos da atualidade: enchente de 1928 e a cheia do rio próximo a Usina hidrelétrica de Ijuí (Usina velha); Luiz Germano Gieseler (autor).

Local: Linha 1, Leste-Ijuí, RS, Brasil. "A grande enchente ocorrida em Ijuí/RS, a foto de 08/09/1928 retrata o Rio Potiribu junto a primeira Usina do Município, inaugurada em 1923, hoje 27/12/2014, chamada de "Usina Velha", aparecendo o prédio que na época abrigava a primeira turbina geradora de energia elétrica, a água tomou conta de todo entorno do prédio, ficando ilhado [...] contava sobre a foto de que esta foi a maior enchente havida até aquela data". Fonte: pesquisa feita por Edgar Beno Gieseler, conforme pasta 1.

Documentos textuais

  • BR RSMADP AI-T
  • Seção
  • Part of Ijuí

O gênero textual reúne documentos referentes à administração municipal, à genealogia familiar (aproximadamente 500 famílias), casas comerciais, indústrias e outras instituições (ligadas à agropecuária, prestação de serviços, meios de comunicação e transporte, benemerentes, classistas, culturais, esportivas, recreativas, estudantis, comunitárias, político-partidárias, religiosas e de saúde). Recortes de jornais também compõem os documentos textuais, com matérias colecionadas pelo primeiro diretor do MADP, Martin Fischer, sobre os assuntos e entidades municipais.
DESTAQUE DA SEÇÃO:
Genealogia (Textual): documentos classificados no tema “0. Generalidades” como históricos familiares, árvores genealógicas, documentos como certidões de batismo, casamento, nascimento e óbito, passaportes e outros documentos de famílias ijuienses.

Cartório Eleitoral de Ijuí (Textual): Documentos classificados no tema “0. Generalidades/0.1 Administração Pública", que reúne 26.780 processos eleitorais das décadas de 1950, 1960 e 1970. Com frequência, a documentação é pesquisada para fins de subsidiar processos de aposentadoria e levantamentos genealógicos.

Comissão de Terras e Colonização do Arquivo Ijuí (Textual): Documentos classificados no tema “1. Administração Municipal”, com 378 registros de lotes urbanos e rurais da Colônia Ijuhy, datados de 1877 a 1912, anteriores à emancipação do município de Ijuí. A documentação é pesquisada como fonte de comprovação histórica e sociocultural da colonização local. Os documentos estão Microfilmados e digitalizados.

Prefeitura Municipal de Ijuí (Textual): Documentos classificados no tema “1. Administração Municipal”, que reúne 96.626 documentos da Administração Pública Municipal custodiados pelo MADP, sendo 1.054 relatórios de atividades da Intendência Municipal e de Secretarias (de 1912 a 1981), 15.593 telegramas expedidos e recebidos (de 1912 a 1982) e 63.839 correspondências expedidas e recebidas (de 1911 a 1973). O índice dos documentos está disponível na Sala de Pesquisa.

Expo-Ijuí - Casa Portuguesa

  • BR RSMADP AI-I-3-AI 3.6 0632 05164
  • Item
  • s.d.
  • Part of Ijuí

Parque Exposição Wanderley Burmann - Ijuí - RS. A imagem mostra mesa com decoração e Gastronomia portuguesa.

Expo-Ijuí - Desfile Étnico

  • BR RSMADP AI-I-3-AI 3.6 0639 05171
  • Item
  • s.d.
  • Part of Ijuí

Ijuí - RS - centro. A imagem mostra desfile étnico, pelo centro da cidade. Integrantes da etnia portuguesa, tipicamente vestidos, desfilam com placa de "500 anos".

Retrato fotográfico criativo de Adolfo Guilherme Gieseler e economia familiar; Luiz Germano Gieseler (autor).

Local: Propriedade da Família Gieseler. Linha1, Leste, Ijuí, RS, Brasil. Colheita manual do milho, uma criança sentada sobre a carroça com dois cavalos, junto aos alimentos colhidos. O menino parece o filho caçula de Luiz Germano Gieseler, Adolfo Guilherme, mas não há identificação confirmada.

Retrato fotográfico de família: mãe, pai e filhos da família Gieseler; Luiz Germano Gieseler (autor).

Emílio Ernesto (Emil Ernst) nascido em Santa Cruz/RS (20/03/1899) e falecido em Santa Rosa/RS (12/11/1980); Emílie Anna, nascida em Santa Cruz/RS (17/06/1894) e falecida em Ijuí/RS (18/11/1949) e Henrique Arthur Max (Heinrich Arthur Max, o tio Max) nascido em Santa Cruz/RS (14/09/1896) e falecido em Tunas, Giruá/RS (20/07/1978); Adolfo Ricardo Guilherme (Adolf Richard Wilhelm) nascido em Ijuí/RS (11/01/1911) e falecido em Ijuí/RS (24/10/1997); Paulo Otto Germano (Paul Otto Hermann, pai de Edgar Beno Gieseler) nascido em Ijuí/RS (16/04/1906) e falecido em Ijuí/RS (28/01/1992).
FORMA DO CONTEÚDO:
Local: Bosque na propriedade da Família Gieseler. Linha1, Leste, Ijuí, RS, Brasil. A imagem mostra o casal Luiz Germano Gieseler (Ludwig Hermann Gieseler) e Maria Emilia com os filhos em fotografia externa, ao ar livre, que poderia ser as proximidades da residência e ou do Rio Potiribu. Da esquerda para a direita estão em pé, na fila de trás: Emílio Ernesto (Emil Ernst); Emílie Anna e Henrique Arthur Max (Heinrich Arthur Max, o tio Max). Da esquerda para a direita à frente estão: o pai Luiz germano Gieseler (Ludwig Hermann Gieseler); Adolfo Ricardo Guilherme (Adolf Richard Wilhelm); Paulo Otto Germano (Paul Otto Herman) e a mãe Maria Emílie.

Retrato do bebê Ida Erika Gieseler; Luiz Germano Gieseler (autor).

Neta de Luiz Germano, Ida Erika Gieseler (07/01/1928, Ijuí-RS-13/06/2012, Tunas/Santa Rosa-RS), filha de Henrique Arthur Max e Justina Ida, nascida Lausch. Ida Erika foi casada com Gustavo Essenburg, alguns de seus filhos eram Helga e Conrado.
Local: Propriedade da Família Gieseler. Linha1, Leste, Ijuí, RS, Brasil. A imagem mostra Ida Erika Gieseler tomando banho numa banheira de metal, localizada na varanda da casa de seu pai, Luiz Germano. A residência ficou pronta em 1912.

Paisagem fotográfica: vista arquitetônica da praça da República de Ijuí; Luiz Germano Gieseler (autor).

O centro de Ijuí tem como espaços destacados, a primeira praça, a atual Praça da República, bem como as igrejas luterana e católica, que ficam neste local: de um lado a Igreja Matriz Nossa Senhora da Natividade (Católica Apostólica Romana), do outro, a Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), conhecida localmente como “Igreja do Relógio”.
FORMA DO CONTEÚDO:
Local: Praça da República, Ijuí, RS, Brasil. Primeiro Plano: tem como objeto central, a praça, com a arborização terminada em 1913. Plano de detalhes: cercas de proteção em volta da praça, para bloquear a entrada de animais, principalmente o cavalo, que era muito utilizado na época como meio de transporte e estes eram amarrados nas cercas, enquanto seus proprietários estavam em seus compromissos no centro. Plano de fundo: aparece a Igreja Matriz Nossa Senhora da Natividade, com prédio da época e torre do sino em estrutura de madeira, bem como edificações ao lado.

Fotografia fatos da atualidade: vista parcial do evento da Escola Alemã; Luiz Germano Gieseler (autor).

A imagem, sem data registrada mostra o primeiro prédio próprio do Colégio Evangélico Augusto Pestana (CEAP), parece estar ocorrendo uma festa no local. O CEAP foi inaugurado em 18 de outubro de 1914, cujos terrenos foram doados pelo intendente provisório de Ijuí, ainda em 1912, engenheiro Augusto Pestana. A escola contava com duas salas de aula e uma sala para a secretaria, as paredes eram de madeira e as divisórias eram de alvenaria. Sua origem se deu com a fundação de Escola Alemã em 1899, porém em outro local, também conhecida como "Escolinha da Roça”. Nos dois primeiros anos funcionou na baixada da atual Avenida Coronel Dico em um casebre/galpão emprestado por Luiz Keller. A pequena escola fechou por dois anos e em 1903 reabriu como "Escola Paroquial" junto da Casa Paroquial da Comunidade Evangélica de Ijuí até 1914, local em que hoje está o Centro Evangélico de Confissão Luterana no Brasil (IECLB). O local da sede do CEAP que mostra a imagem, desde 1914 permanece em funcionamento, mas com edificação mais recente de alvenaria e funciona até hoje (2018). Fonte: Adaptado da pesquisa e relato de Edgar Beno Gieseler, pasta 1.

Results 31 to 40 of 58